Cervejas da Nova Zelândia e muito mais

A Nova Zelândia tem uma tradição inglesa forte que sempre favoreceu o consumo de cervejas. Mas é curioso notar que foi com os vinhos brancos que teve destaque internacional entre os amantes das bebidas. Suas condições geográfica são únicas e seus Sauvignon Blancs são famosos, leves e refrescantes. Assim também é a cerveja Moa Breakfast, uma Lager com malte de trigo e cerejas, bem frutada, apoiada pelo uso do lúpulo local Nelson Sauvin, cítrico, lembrando maracujá. Harmoniza bem com saladas, peixes e frutos do mar. As cervejas da Moa tem um extenso portfólio já disponível no Brasil com estilos como Tripel, Imperial Stout, Pale Ale e Pilsen.

Entre as novidades internacionais, a indicação são as cervejas da escocesa Innis & Gunn. Maturadas em madeira, três English Strong Ales da marca chegam ao país: Original (carvalho), Rum Finish (barris usados previamente para Rum Demerara) e Toasted Oak IPA (carvalho tostado). Destaque para a última, com sabores da madeira, frutado e lúpulo misturados, com bom amargor que combina com comida mexicana e outras culinárias bem condimentadas e apimentadas.

Leia a íntegra da coluna Bar do Celso sobre as novidades cervejeiras do mês na revista Bom Gourmet, suplemento gastronômico da Gazeta do Povo. A publicação circula encartada no jornal todas as segundas quinta-feiras do mês.

nv-author-image

Luís Celso Jr.

Luís Celso Jr. é jornalista e sommelier de cervejas premiado. Também é professor, juiz e consultor de cervejas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *