Cervejas, festas e abóboras

Cervejas sazonais de outubro: Oktoberfest e Pumpikin Ale

[Texto sobre cervejas originalmente publicado nesta quinta-feira (17) na coluna Bar do Celso da revista Bom Gourmet, suplemente gastronômico da Gazeta do Povo.]

Outubro é um mês de ótimas cervejas sazonais, aquelas que só aparecem de tempos em tempos. Além da tradicional Oktoberfest, estilo hoje intimamente ligado à festa alemã, temos a Pumpkin Ale, cerveja feita com abóbora e condimentos tradicionalmente associada à outra data comemorativa, o Halloween. Você já experimentou algumas delas?

Ein Prosit

Considerada uma das festas de cerveja mais famosas do mundo, a Oktoberfest de Munique, na Alemanha, arrasta multidões em busca de diversão e boas cervejas. Mas poucos sabem ou lembram que Oktoberfest é também um estilo, maltado, leve, refrescante e fácil de beber. A tradição dessa celebração é bem mais antiga do que a festa que leva esse nome hoje.

Após a promulgação da Lei da Pureza pelo Duque da Baviera, em 1516, outra lei, imposta pelo rei, visava manter a qualidade da bebida. Ela proibiu a fabricação de cerveja no verão, quando o produto estragava mais facilmente. Apesar da dificuldade, o povo alemão desenvolveu as cervejas de baixa fermentação, mas ainda havia um problema: ao fim da estação era necessário acabar com o estoque do produto, esvaziando os barris para receberem mais cerveja para o período seguinte. Daí o motivo original e informal da festa.

O casamento do príncipe Ludwig, da Baviera, com Teresa de Saxe-Hildburghausen, em 12 de outubro de 1810, motivou a primeira Oktoberfet, que não tinha cervejas e a atração principal era uma corrida de cavalos. Só alguns anos mais tarde as tradições se uniram. Bons rótulos para degustar são as brasileiras Bamberg Die Wiesn e Eisenbahn Oktoberfest. Entre as importadas, experimente a clássica Paulaner Oktoberfest ou a espanhola Voll-Damm.

Cervejas, doçuras ou travessuras

As Pumpkin Ales são cervejas muito ligadas ao Dia das Bruxas, que ocorre em 31 de outubro. Além da relação com o Jack’O Lantern, aquele boneco de abóbora tradicional, o mês é de colheita nos Estados Unidos. A tradição também é mais antiga do que a festa. Durante a colonização, em busca de insumos para fazer cerveja, a abóbora foi uma descoberta farta e nutritiva para essa época do ano no país norte-americano.

Não raro esse estilo de cervejas leva alguns temperos, como gengibre, cravo, noz-moscada e pimentas. O sabor é adocicado, e deve ter bom equilíbrio entre o estilo base da cerveja – que pode ser diversificado, como Pale Ale, IPA e outros – e a abóbora com condimentos.

Infelizmente, o Brasil não tem muitos exemplares, mas com as importações e novidades das cervejarias, isso não deve demorar para mudar. Está disponível nos mercados a Brooklyn Post Road Pumpkin Ale, uma boa pedida. Duas receitas paranaenses desse estilo aguardam ainda liberação do Ministério da Agricultura e Pecuária para serem comercializadas: Bier Hoff e Klein Bier.

Acompanhe o Bar do Celso nos sites de redes sociais

– Instagram

– Facebook

– Google+

– Twitter

– Foursquare

– YouTube

nv-author-image

Luís Celso Jr.

Luís Celso Jr. é jornalista e sommelier de cervejas premiado. Também é professor, juiz e consultor de cervejas. Leia mais sobre ele aqui e conheça oClube BarDoCelso.com aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *