Notícias

Dama Bier Single Hop: um kit para degustar lúpulos

Dama Bier Single Hop: um "copo cheio" para degustação

Dama Bier Single Hop: um “copo cheio” para degustação

Uma das coisas mais bacanas de cervejas é poder degustar a enorme variedade que existe. São mais de 120 estilos. E nós, na maioria das vezes, tomamos o mesmo estilo tantas vezes repetido. Mas além dessa diversidade, existem experiências muito legais que também colocam a prova a versatilidade da bebida. A Dama Bier Single Hop é uma delas. Um kit feito de uma mesma cerveja base, uma India Pale Ale, com quatro cervejas, cada uma com apenas uma variedade de lúpulo. Um prato cheio, digo, copo cheio, para entender como esse ingrediente pode modificar o sabor da bebida.

As quatro cervejas passam pelo processo chamado First Wort Hop, que consiste em adicionar o lúpulo no mosto primário, início do processo de fabricação da cerveja, além de diversas adições durante a fervura. Depois, acontece o Dry Hopping, que é a adição de lúpulo ao final da maturação. Isso tudo reforça ainda mais os sabores de cada um dos lúpulos escolhidos.

E que lúpulos. Eles foram escolhidos criteriosamente e são importados da Austrália (Topaz), Nova Zelândia (Motueka) e Estados Unidos (Ahtanum e HBC 342). Cada cerveja contém 6,5% de teor alcoólico álcool e 60 IBU (unidade internacional de amargor). Além disso, as cervejas trazem rótulos modernos representados pelos quatro elementos do planeta (Terra, Água, Fogo e Ar) que, cada um à sua maneira, são determinantes para todo o processo de fabricação das bebidas.

Uma das primeiras experiências – senão a primeira, não estou certo -, nesse sentido foi feita pela Way Beer, cervejaria de Pinhais, na região Metropolitana de Curitiba, no ano passado.

Confira a descrição de cada uma das cervejas do kit da Dama Bier:

Dama Motueka – Representa o elemento Terra. Tem boa base de malte, que agrega equilíbrio ao dulçor, sendo escoltada por generoso amargor e sabores cítricos. O aroma segue a mesma linha com tons ligeiramente cítricos, florais e frutados (limão). O lúpulo Motueka é uma variedade neozelandesa, proveniente do cruzamento de variedade local com o a variedade Saaz.

Dama Topaz – Elemento fogo. Possui notas aromáticas frutadas de lichia, terrosas e é sutilmente adocicada. A base de malte proporciona agradável equilíbrio, acompanhada de fugaz amargor e sabores frutados desta variedade de lúpulo.

Dama Ahtanum – É o elemento ar. Tem aromas florais combinados com essência cítrica. O malte traz notas doces escoltadas por persistente amargor e sabor frutado e levemente picante. O lúpulo Ahtanum é uma variedade americana, foi desenvolvido no Vale Ahtanum Creek em Washington.

Dama HBC 342 – Representa a água. Com fino amargor, possui um toque de casca de limão e notas herbais seguidas por notas maltadas. O aroma apresenta-se com belas notas florais, condimentadas e ligeiros tons cítricos. O lúpulo HBC 342 é uma variedade experimental americana.

Estou ansioso para degustar. E você?

Acompanhe o Bar do Celso nos sites de redes sociais

– Instagram

– Facebook

– Google+

– Twitter

– Foursquare

– YouTube

Luís Celso Jr.

Luís Celso Jr.

Luís Celso Jr. é jornalista e sommelier de cervejas premiado. Também é professor, juiz e consultor de cervejas

4 Comments

  • Matheus disse:

    HBC 342 é Australiano também 🙂

    • Luís Celso Jr. - bardocelso@gmail.com disse:

      Obrigado pela correção, Matheus. Peguei a informação direto do material de divulgação…

  • Matheus disse:

    Desculpe mas acabo de ver que a própria Dama errou ao colocar o HBC 342 como australiano na tag que vinha com o kit de degustação na pressão ontem no EAP.

    Pesquisei e vi que o HBC 342 é americano mesmo 🙂

    • Luís Celso Jr. - bardocelso@gmail.com disse:

      Hahahaha. Tudo bem, meu caro. Estava pesquisando isso aqui agora mesmo. Tudo em casa 😉

Leave a Reply