A influência da quaresma na cerveja

Divulgação

A quaresma – período de cerca de 40 dias entre quarta-feira de cinzas e quinta-feira santa – está acabando. Já no início, me veio a ideia de escrever um pouco sobre a influência que ela teve sobre as cervejas. Sim, esse tradicional período católico mudou as características de algumas cervejas.

A história é a seguinte: durante a idade média a produção de cervejas se concentrou fortemente em mosteiros, como prática de alguns monges, principalmente de ordens católicas. Durante esse período, eles não podiam comer durante o dia ou se alimentavam muito pouco. Mas era possível ingerir líquidos. Como eram eles mesmos que faziam a bebida, alteraram as fórmulas para que a cerveja ficasse mais encorpada e calórica, de forma que pudesse sustentar e servir de alimento.

O resultado podemos ver em algumas cervejas comercializadas ainda hoje. As Trapistas, que são produzidas em apenas sete mosteiros dessa ordem católica no mundo, são exemplos clássicos. A grande maioria têm corpo elevado, características adocicadas e pode alimentar muito bem.

Apenas seis mosteiros na Bélgica (Orval, Westvleteren, Rochefort, Westmalle, Achel e Chimay) e um na Holanda (de Koningshoeven, que faz a marca La Trappe) podem produzir as cervejas Trapistas. Os estilos Dubbel, Tripel e Quadrupel são os mais facilmente encontrados. Quer saber mais sobre as Trapistas? Leia aqui.

Mas há outras cervejas que já foram produzidas em mosteiros. A cervejaria Paulaner, por exemplo, surgiu do mosteiro de São Francisco de Paula, em Munique, na Alemanha. Hoje ela é considerada a maior da Baviera. Obviamente, nem todas as cervejas produzidas representam esse conceito. Mas ainda hoje eles produzem a Paulaner Salvator, uma Doppelbock com 7,9% de teor alcoólico e bem adocicada, em razão da alta dose de malte.

Inspirado em uma história dessas, o blogueiro e editor da revista americana Adams County Free Press decidiu que ficaria a quaresma desse ano inteira fazendo a dieta de cerveja. Ele preparou uma receita de Doppelbock e está se alimentando dela. Maluco, não? Ah, detalhe, ele tem um blog sobre cervejas. Será meu destino?

Obviamente, você não precisa chegar a esse ponto. Nem restringir o consumo dessas cervejas só à quaresma. Vale experimentar algumas delas em qualquer época.

Acompanhe o Bar do Celso nos sites de redes sociais

– Twitter: http://twitter.com/bardocelso

– Facebook: http://www.facebook.com/bardocelso

– Foursquare: http://foursquare.com/bardocelso

– YouTube: http://www.youtube.com/bardocelso

– Orkut: Comunidade eu frequento o Bar do Celso


Gostou do post? Então compartilhe com seus amigos – Bookmark and Share

nv-author-image

Luís Celso Jr.

Luís Celso Jr. é jornalista e sommelier de cervejas premiado. Também é professor, juiz e consultor de cervejas. Leia mais sobre ele aqui e conheça oClube BarDoCelso.com aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *