Bohemia: cervejaria, museu e cerveja em Petrópolis

[Texto publicado originalmente na coluna Bar do Celso, publicada nesta quinta-feira (8) na revista Bom Gourmet da Gazeta do Povo.]

Divulgação
Sala do Mestre Cervejeiro resgata objetos usados na elaboração da bebida

Conhecer a cerveja, essa bebida que faz parte do cotidiano de milhares de brasileiros, é a porta de entrada para um mundo maravilhoso: o da cultura cervejeira. Tão antigo e diversificado que é difícil resumir em palavras. Essa complexa história é contada, e mostrada com méritos, na Cervejaria Bohemia, em Petrópolis, na serra carioca.

A fábrica foi reformada e reaberta ao público em maio desse ano como museu, ou melhor, um centro de experiência cervejeira. São mais de 20 ambientes, muitos deles interativos, com projeções em vídeo e diversas outras “brincadeiras” que vão deixar o fã da cerveja ainda mais admirador dessa bebida. É um mergulho que, começa pela história: um grande corredor com projeções, algumas delas interativas, mostra o surgimento e evolução da bebida até os dias atuais.

Outros ambientes se seguem à medida que se caminha pela construção centenária. Na Sala do Mestre Cervejeiro é prestada uma homenagem a esses guardiões da fórmula do ouro líquido, com objetos históricos usados na elaboração da bebida. Mas para isso são necessários insumos, que são conhecidos logo a seguir em um passeio pela Sala dos Ingredientes.

Continue lendo a coluna Bar do Celso no site da revista Bom Gourmet.

Acompanhe o Bar do Celso nos sites de redes sociais

– Google+: plus.google.com/107330340839164546695

– Twitter: http://twitter.com/bardocelso

– Facebook: http://www.facebook.com/bardocelso

– Foursquare: http://foursquare.com/bardocelso

– YouTube: http://www.youtube.com/bardocelso

nv-author-image

Luís Celso Jr.

Luís Celso Jr. é jornalista e sommelier de cervejas premiado. Também é professor, juiz e consultor de cervejas. Leia mais sobre ele aqui e conheça oClube BarDoCelso.com aqui.

2 comentários em “Bohemia: cervejaria, museu e cerveja em Petrópolis”

  1. Será que insumos atuais como arroz e milho, introduzidos para baratear os custos de produção, estão presentes nesta tão afamada “Sala dos Ingredientes”?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *