Sem categoria

“Café do Teatro”, um dos últimos trabalhos de Lala Schneider, estréia na terça-feira

Um dos últimos trabalhos de Lala Schneider, falecida em fevereiro deste ano, o filme “Café do Teatro” tem estréia oficial na terça-feira (24), no Teatro HSBC. Trata-se de uma comédia que parodia a fama, a cidade de Curitiba e sua classe teatral. A primeira dama do teatro paranaense faz uma participação especial no média-metragem interpretando uma versão cômica dela mesma. A sessão está marcada para as 20h30 e a entrada é gratuita.

“Para qualquer um que faça teatro em Curitiba, Lala é referência”, afirma o diretor Adriano Esturilho, que estréia no cinema digital após anos à frente do Grupo Processo Artes Teatrais com a direção de peças como “ArrasTom”, “CriÂnsia”, “Samuel” e “AmorFO”. “Esse clima de paródia, comédia, autocrítica e bom humor casava perfeitamente com ela, que preservava esse espírito de criança”, completa.

Além disso, Esturilho conta que trabalhar com Lala era um desejo antigo que acabou se realizando não propriamente no palco, mas quando promoveu a união do teatro com o cinema. O média também conta com as participações especiais de Ítala Nandi e Chico Nogueira, além de um elenco de peso composto pelo diretor teatral Edson Bueno, no papel de um desajeitado repórter de rádio, e os atores Breno Reis, Cauê Mathias e Rafaella Marques.

O filme

“Café do Teatro” conta a história de dois “piás” em busca do autógrafo de uma jovem estrela instantânea do teatro local, Loren Elisa. Fãs incondicionais, mas já cansados da indiferença da pequena diva, os dois resolvem seqüestrá-la para obter a tão esperada assinatura e fama. Toda a trama é transmitida aos espectadores –supostamente ouvintes da Rádio Curitibana–, por um repórter investigativo, que acompanha o seqüestro. O Café do Teatro, tradicional bar freqüentado pela classe artística, e a cidade de Curitiba são o pano de fundo dessa comédia, que trás o devido molho local e espírito de realismo mágico adequado ao clima de paródia.

Segundo Esturilho, o filme –que teve uma versão reduzida apresentada a título de pré-estréia na reabertura da Cinemateca de Curitiba–, é recheado com muita carnavalização auto-crítica, referências de desenho animado na interpretação dos atores, metalinguagem e um toque de kitsch, elementos marcantes no teatro realizado pelo Grupo Processo e que agora ganham a tela. As referências ao modernismo de Oswald de Andrade e ao movimento da Tropicália também são ressaltadas.

Premiado no edital de Cinema Digital da Fundação Cultural de Curitiba de 2005, o projeto contou com apoio da Cinetv-PR (Escola Superior Sul Americana de Cinema e TV) –o curso de graduação em cinema da Faculdades de Artes do Paraná (FAP)–, e com a participação de mais de 100 pessoas, entre figurantes e equipe técnica. “O filme marca a estréia e o primeiro encontro de vários colegas da Cinetv-PR, que já estão produzindo, e é o primeiro resultado prático desse projeto do governo estadual, que pretende alavancar um pólo de cinema e tevê no Paraná”, afirma Esturilho.

Serviço: “Café do Teatro”. Teatro HSBC (Rua Luiz Xavier, 11, Rua das Flores). Terça-feira (24), às 20h30. Entrada Franca. Informações pelo telefone (41) 3232-7177.

Luís Celso Jr.

Luís Celso Jr.

Luís Celso Jr. é jornalista e sommelier de cervejas premiado. Também é professor, juiz e consultor de cervejas

4 Comments

Leave a Reply