Breaking News
Home » Reportagens » Cerveja artesanal em lata, rola? Empresários falam do preconceito contra a embalagem

Cerveja artesanal em lata, rola? Empresários falam do preconceito contra a embalagem

No mundo das cervejas artesanais, as latinhas não fazem tanto sucesso quanto no mundo das mainstream. Existe um certo preconceito com elas. Entrevistamos várias pessoas que estão envolvidas no mercado e já presenciaram a recusa da lata em relação a garrafa. Para alguns, o problema pode ser contornado facilmente com informação. Outros dizem que não é tão simples assim. Enfim, em termos de produto, a cerveja artesanal em lata é tão boa quanto na garrafa? E comercialmente, vende tão bem quanto?

>> Sistema de envase móvel em latas para cervejas artesanais chega ao Brasil

Recentemente o BrewDog bar, de São Paulo, lançou uma campanha para ajudar no combate ao preconceito com as latinhas. Segundo André Santiago, beer Hunter do estabelecimento, as pessoas ainda associam as latas com preço. “Infelizmente o público tem preconceito com a cerveja artesanal em lata, a aceitação ainda é baixa, sem dúvidas as latas são mais vendidas em promoções ou se custam o bem mais barato”, conta. A BrewDog investiu no envase em latas dos principais rótulos da marca, pois ela conserva melhor o sabor e aromas da cerveja. Mas, mesmo em países onde a cultura cervejeira é mais enraizada, a venda das latas ainda é menor, de acordo com André.

cerveja artesanal em lata punk ipa

Para Marco Koch, gerente comercial da BeerManiacs SP, importadora da Brooklyn Brewery, depende muito da argumentação de quem está atendendo. “Assim como todo o mercado de cervejas especiais, educar o público é a chave para a coisa acontecer. O consumidor é inteligente. Se ele souber dos benefícios da embalagem o preconceito acaba”, afirma Marco. De acordo com o gerente, as latas da Brooklyn chegaram por aqui no ano passado e atingiram o sucesso desejado, principalmente nos eventos de cerveja. No entanto, dos rótulos que vieram em latas da Brooklyn, apenas a Brooklyn Lager ficou no portfólio. “A lata de Brooklyn EIPA só é comercializada, hoje, dentro dos EUA, e ela sai com uma validade que inviabiliza a importação”, relata Marco.

cerveja artesanal em lata brooklyn

Já o proprietário de uma das lojas mais antigas de Curitiba especializada em cervejas, o Armazém da Serra, Clovis Filho, diz que alguns clientes simplesmente não querem nem provar a cerveja na lata. “Tem certo preconceito. Tem cliente que nem experimentar em lata. Os que não gostam acham com gosto inferior ao de garrafa e reclamam que tem menos gás”, destaca Clovis. Mesmo com a informação, por preferência do cliente, Clovis deixa de adquirir latas se as mesmas não tiverem um preço mais baixo.

cerveja artesanal em lata armazem da serra
Latinhas nas prateleiras do Armazém da Serra

Outros argumentos sem fundamento são ouvidos por donos de loja em Curitiba. Kaio Pimenta, dono do Empório Weiss Água Verde, diz que os que tem mais conhecimento sobre a cerveja vão direto nas latas, enquanto o público mais leigo chega cheio de mitos. “Os que não conhecem [sobre cerveja], nós explicamos que a lata conserva melhor e fazemos ele tirar da cabeça a ‘cerveja comercial com gosto de metal’. Cerca de 50% aceitam e outros 50% não”, relata Kaio. O preço, no entanto, é melhor argumento para acabar com o preconceito. “Quando falamos em promoção o público não quer saber se é lata, garrafa, etc. Eles compram mesmo, sem pensar duas vezes”, afirma Kaio.

Latas no Empório Weiss
Latas no Empório Weiss

Artesanal na lata

O envase de cerveja artesanal em lata ainda não é tão comum ao redor do mundo, mas para os Estados Unidos ele já representa um aumento de 5% no percentual total de cervejas em lata. O site americano CraftCans.com, especializado em cervejas artesanais, identificou mais de 500 microcervejarias americanas produzindo 97 tipos diferentes da bebida, somando cerca de duas mil cervejas artesanais em lata. Isso tudo porque o sistema para enlatar a cerveja por lá acaba saindo mais barato para a fábrica do que o processo de engarrafar.

Quem está começando a oferecer esse serviço no Brasil é a Dalata Mobile Canning Service. A empresa começa a operar em dezembro e um dos proprietários, Rodrigo Fernandes da Costa, nos contou aqui como irá funcionar. Mas afinal de contas, a latinha realmente é pior ou melhor para a cerveja? Rodrigo nos ajudou a responder sobre as verdades e os mitos que estão por trás dessa questão.

Mitos e verdades sobre as latas de cerveja

mitos e verdades sobre cerveja na lata

Cerveja em lata é diferente do que a cerveja em garrafa. MITO

A bebida é a mesma para ambas as embalagens, cervejarias não criam dois produtos diferentes para cada uma.

A cerveja na lata fica com gosto metálico.  MITO

“O interior é normalmente revestido com um polímero a base de água que não permite que a bebida entre em contato com o alumínio”, conta Rodrigo. Ou seja, o sabor é o mesmo.

Tem menos gás na lata do que na garrafa. VERDADE

Isso porque a lata retém melhor o gás carbônico do que a garrafa, por conta do fechamento. A tampinha não tem o mesmo poder de vedação, portanto na garrafa se coloca mais gás contando com a perda do mesmo ao longo da sua validade.

Conservação da cerveja é melhor na lata. VERDADE

Como o Oxigênio e a Luz UV são os maiores inimigos da cerveja, a cerveja deve durar mais na lata em comparação com a garrafa. “Raios ultravioletas quebram os isohumulones derivados do lúpulo, quebrando suas moléculas e permitindo que eles se liguem a átomos de enxofre, deixando a cerveja com um “off flavor” conhecido como skunk (gambá). A oxidação, causada pela entrada de ar para a bebida, também pode ocorrer por conta da tampinha, deixando gosto nada agradável de papelão”, explica Rodrigo.

Garrafas gelam mais rápido do que as latas. MITO

O alumínio é mais eficiente na troca térmica, e, portanto, as latas gelam mais rápido.

As latas são mais baratas do que as garrafas. VERDADE, em partes.

O líquido dentro da embalagem é o mesmo, mas o que pode baratear um pouco é custo do transporte que diminuí. As latas são mais leves, e como o valor do frete muda de acordo com peso e tamanho, elas são mais baratas para viajar.

 

About Nadya Romanowski

Nadya Romanowski, jornalista e sommelier de cerveja que faz das cervejas especiais o motor de sua vida pessoal e profissional. Levanta a bandeira “beba menos, beba melhor” para quem quiser ver. Não defende rótulos e não tem preconceito com estilos. Sem frescuras, apenas bom gosto.

Check Also

5 bares com música ao vivo e cervejas especiais

Curtir uma boa cerveja acompanhado de uma boa trilha sonora pode melhorar ainda mais sua …

  • Wanderlei Dos Santos

    não beberia,da mesma forma deixei de beber algumas artesanais que foram compradas por grandes cervejarias pois ja não é a mesma coisa .. ja que uma cerveja em lata apenas gela rapido,mas fica com pouco gs e parece pegar gosto do aluminio…e nas garrafas a gente ve de verdade os insumos no fundo da garrafas… ai nem vai pegar…tu chega e ve uma lata por 31 reais e mais ao lado uma skol por 4,50 …que que os caras esperam?

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE