Trabalhos realizados

Cerveja também combina com o inverno

By 15/06/2009abril 18th, 20202 Comments

[Todos os meses o caderno Bom Gourmet da Gazeta do Povo publica uma coluna sobre cervejas especiais. Neste mês de junho fui convidado para participar. O caderno saiu na quinta-feira (11), mas ainda é possível conferir o material no site da Gazeta do Povo e agora aqui também. Espero que todos gostem e que eu possa continuar escrevendo sobre esse assunto tão delicioso. Agradecimentos especiais ao Daniel Wolff, do site Mestre Cervejeiro, e ao Alexandre e o Bruno, da Cervejaria da Villa. Ah, continuem acompanhando. O Bom Gourmet é publicado toda a segunda quinta-feira do mês.]

O inverno está chegando. Uma época ótima para se apreciar comidas mais fortes, sabores intensos e tomar aquela cerveja. Sim, cerveja! Ao contrário do que muitos pensam não é regra que a bebida tenha que ser refrescante ou que deva ser servida “estupidamente gelada”. Há vários tipos de cerveja que, por suas qualidades, combinam bem com a estação mais fria do ano.

“No inverno estamos receptivos a bebidas com teor alcoólico mais elevado, com maior corpo e de longa persistência aromática”, explica o editor do site Mestre-Cervejeiro e sommelier especialista em cervejas, Daniel Wolff. Essas características estão presentes em vários tipos de cerveja, como as Strong Lagers, Dubbel, Weizenbock, Porter, Stout, Old Ale, Barley Wine.

A temperatura para servi-las depende de cada estilo, mas também do gosto de cada um. A dica de Wolff é que elas sejam saboreadas numa temperatura mais elevada do que o habitual. “Você perceberá como o sabor de sua cerveja será realçada”, diz.

A pedido da Gazeta do Povo o beer sommelier indicou algumas cervejas que se encaixam nessa linha e podem ser encontradas mais facilmente no mercado nacional de bebidas (confira a descrição completa das cervejas no link ao lado).

Uma delas é a espanhola Voll-Damm, que tem teor alcoólico de 7,2% e pode ser encontrada em supermercados a um preço médio de R$ 11. “Uma excelente cerveja de boas vindas para quem ainda não está muito acostumado com as mais fortes”, diz. Ela é uma Mârzenbier, estilo assim batizado por ser tipicamente produzido em março, na Alemanha, para a as festividades de outubro. Outras do mesmo estilo são as versões Oktoberfest da Eisenbahn, Paulaner e HB, além da Abadessa Festbier.

Boa opção também é a cerveja bock feita de trigo (Weizenbock) Schneider Aventinus, uma alemã com 8,2% de teor alcoólico que pode ser comprada por R$ 7 em grandes redes de supermercados. Do mesmo tipo podem ser encontradas também a Erdinger Pikantus e a Eisenbahn Weizenbock.

Outras duas, um pouco mais difíceis de encontrar, são a holandesa Christoffel Robertus (R$ 16) e a inglesa Thomas Hardy’s Ale (R$ 32). Esta última, do estilo Barley Wine, é licorosa e quase sem espuma, semelhante a um vinho. “Ela pode ser armazenada por 25 anos, que seus aromas e sabores continuarão evoluindo na garrafa”, conta Wolff.

Confira as descrições completas das cervejas indicadas no site do Bom Gourmet, na Gazeta do Povo Online

Luís Celso Jr.

Luís Celso Jr.

Luís Celso Jr. é jornalista e sommelier de cervejas premiado. Também é professor, juiz e consultor de cervejas

2 Comments

Leave a Reply