Trabalhos realizados

Cerveja também combina com o inverno

By 27/07/2009abril 18th, 2020One Comment
JonathanCampos/Gazeta do Povo
A Voll-Damm pode ser comprada por R$ 11, a Hardy´s Ale por R$ 32, e a Schneider Aventinus por R$ 7

Aproveito o frio desses últimos dias para resgatar uma materiazinha que fiz para o Bom Gourmet há um tempo. Até parece que o pessoal sabia que ia esfriar para valer!

O inverno está chegando. Uma época ótima para se apreciar comidas mais fortes, sabores intensos e tomar aquela cerveja. Sim, cerveja! Ao contrário do que muitos pensam não é regra que a bebida tenha que ser refrescante ou que deva ser servida “estupidamente gelada”. Há vários tipos de cerveja que, por suas qualidades, combinam bem com a estação mais fria do ano.

“No inverno estamos receptivos a bebidas com teor alcoólico mais elevado, com maior corpo e de longa persistência aromática”, explica o editor do site Mestre-Cervejeiro e sommelier especialista em cervejas, Daniel Wolff. Essas características estão presentes em vários tipos de cerveja, como as Strong Lagers, Dubbel, Weizenbock, Porter, Stout, Old Ale, Barley Wine.

A temperatura para servi-las depende de cada estilo, mas também do gosto de cada um. A dica de Wolff é que elas sejam saboreadas numa temperatura mais elevada do que o habitual. “Você perceberá como o sabor de sua cerveja será realçada”, diz.

A pedido da Gazeta do Povo o beer sommelier indicou algumas cervejas que se encaixam nessa linha e podem ser encontradas mais facilmente no mercado nacional de bebidas (confira a descrição completa das cervejas no link ao lado).

Uma delas é a espanhola Voll-Damm, que tem teor alcoólico de 7,2% e pode ser encontrada em supermercados a um preço médio de R$ 11. “Uma excelente cerveja de boas vindas para quem ainda não está muito acostumado com as mais fortes”, diz. Ela é uma Mârzenbier, estilo assim batizado por ser tipicamente produzido em março, na Alemanha, para a as festividades de outubro. Outras do mesmo estilo são as versões Oktoberfest da Eisenbahn, Paulaner e HB, além da Abadessa Festbier.

Boa opção também é a cerveja bock feita de trigo (Weizenbock) Schneider Aventinus, uma alemã com 8,2% de teor alcoólico que pode ser comprada por R$ 7 em grandes redes de supermercados. Do mesmo tipo podem ser encontradas também a Erdinger Pikantus e a Eisenbahn Weizenbock.

Outras duas, um pouco mais difíceis de encontrar, são a holandesa Christoffel Robertus (R$ 16) e a inglesa Thomas Hardy’s Ale (R$ 32). Esta última, do estilo Barley Wine, é licorosa e quase sem espuma, semelhante a um vinho. “Ela pode ser armazenada por 25 anos, que seus aromas e sabores continuarão evoluindo na garrafa”, conta Wolff.

Confira a descrição completa das cervejas indicadas

Luís Celso Jr.

Luís Celso Jr.

Luís Celso Jr. é jornalista e sommelier de cervejas premiado. Também é professor, juiz e consultor de cervejas

One Comment

  • Ricardo Ampudia disse:

    A Baden Baden produz uma barley wine sobre o nome de Red Ale, que é uma boa pedida para o inverno, encorpada, com uma cor linda.
    Das porters eu iria com brasileiríssima Demoiselle, da colorado, deve cair bem com um fondieu de chocolate amargo com banana

Leave a Reply