Guest posts

Christmas Beers: a tradição das cervejas de Natal

A época do Natal se aproxima e com ela chegam também as Christmas Beers ou Winter Warmers, cervejas especialmente feitas para esse momento especial. Em geral, são encorpadas e com graduação alcoólica mais alta, com condimentos que remetem às comidas e bebidas desta época. Como a tradição vem dos países do hemisfério norte, combina também com o frio do inverno e por isso são chamadas de Winter Warmers, ou aquecedoras do inverno em português.

Há várias versões sobre o surgimento das cervejas de fim de ano. No entanto, a que parece ter maior embasamento é a dos países escandinavos. Os Vikings gostavam de uma cerveja forte e maltada na comemoração do Jul, ou Yule. Em 21 de dezembro, as celebrações envolviam a cerveja sendo bebida e oferecida a Odin, Frey e outros deuses nórdicos.

Mesmo após o cristianismo chegar à região e ser adotado como religião oficial, a tradição continuou, sendo apenas “empurrada” para o dia de Natal. E não passou despercebida pelos outros países da Europa. Em 1804, um correspondente britânico na Escandinávia relatou as cervejas Natalinas como fora do padrão europeu. Não que as cervejas dessa época festiva fossem desconhecidas nas ilhas, onde já há relatos e músicas do século 17. Neste mesmo século, os Suecos estavam entre os primeiros que levaram a tradição das cervejas de Natal para a América do Norte.

Uma categoria

Hoje em dia, temos ótimos exemplares de cervejas de Natal e todas se aproximam em certos pontos, independente do estilo que foi usado como base para a criação da receita. Pela grande quantidade de maltes na receita, apresentam dulçor e teor alcoólico elevado. A quantidade alta de açúcares reflete nos sabores e aromas de caramelo, toffee, pão e até frutas secas.

Contam com diversas especiarias, e até frutas, características do Natal de cada região que são produzidas. Nem todos os aromas de especiarias e frutas provem da adição de cada um de fato, mas podem ser gerados na fermentação ou por lúpulos diversos.

O bom casamento entre as especiarias, frutas, lúpulos, fermento e processo de fermentação são a chave para uma cerveja equilibrada. É possível encontrar aromas e gosto de gengibre, cravo, hortelã, anis, coentro, semente de coentro, banana, laranja, noz-moscada, frutas vermelhas, cardamomo, etc. Algumas ainda deixam evidente algum perfil de lúpulo floral, herbal e até cítrico.

Com a mão no mosto

Aos que desejam se aventurar a fazer uma cerveja de Natal, aconselho por experiência própria que usem uma receita base de algum estilo que já possua graduação alcoólica alta ou que aceite bem o acréscimo de álcool. Belgian Strong Ale, Dubbel, Quadruppel, Wee Heavy, Barley Wine, entre outros, são bons exemplos de estilos que aceitam bem um possível acréscimo de álcool além das especiarias, frutas e, para os mais ousados ou experientes, madeira.

Não descarte também a adição de álcool por meio de diversos tipos de açúcar como mascavo, demerara, mel ou candi sugar. Parte deles também adicionarão aromas e sabores. As especiarias e frutas podem ser adicionadas na fervura, na maturação ou ambas, depende do objetivo e gosto do cervejeiro.

O sabor do Natal

Para fazer uma boa cerveja, ou apenas conhecer mais sobre o estilo, é necessário degustar cervejas. E, para tal, já deixo uma lista de alguns exemplares que geralmente chegam por aqui.

Samichlaus
Depois de andar sumida por um tempo, voltou em 2000 sendo produzida na cervejaria Eggenberg. Feita todo ano apenas no dia 6 de Dezembro e envelhecida por 10 meses antes de ser engarrafada.
ABV: 14%

Anchor Our Special Ale
Todo ano tem uma receita diferente desde sua primeira e suas receitas são mantidas em segredo. É uma exceção a regra em relação a graduação alcoólica pois é mais baixa do que as outras.
ABV: 5,5%

Delirium Christmas (Noël)
Este ano comemora 25 anos desde a primeira Delirium Christmas. Sua base é a Delirium Tremens .
ABV: 10%

Gouden Carolus Christmas
A cervejaria Het Anker costumava fazer cervejas de Natal, Cardinal Christmas e Anker Christmas, no passado mas deixou de comercializá-las em 1964. Após 38 anos de espera, a Gouden Carolus Christmas voltou para retomar a tradição.
ABV: 10.5%

Os mais ávidos por cervejas de Natal ainda podem visitar a Bélgica e participar do Kerstbierfestival, realizado em Essen nos dias 20 e 21 de Dezembro. Esse ano completa 20 anos de existência e é uma ótima pedida para provar todas cervejas juntas em um lugar fantástico.

[Esse texto é uma contribuição do amigo Magoo Pellegrino, sommelier de cervejas do site www.obeersommelier.com.br, para a seção de guest posts do BarDoCelso.com. Esse é um espaço aberto para quem quiser publicar algo contando um pouco das suas experiências cervejeiras. Quer participar também? Entre em contato pelo e-mail bardocelso@gmail.com que eu explico tudo! E muito obrigado, Magoo, pelo ótimo e completo artigo que você escreveu! Conheçam o trabalho do cara aqui!]

Luís Celso Jr.

Luís Celso Jr.

Luís Celso Jr. é jornalista e sommelier de cervejas premiado. Também é professor, juiz e consultor de cervejas

Leave a Reply