Artigos

RedCor: a cervejaria paranaense que já nasceu com medalhas

By 12/05/2016abril 18th, 2020No Comments

Do interior do Paraná para o Brasil a RedCor tem apenas 2 anos como cervejaria comercial e já ganhou destaque no concurso cervejeiro mais importante do país. Seu rótulo Ryequeoparta é o carro chefe e leva centeio na receita, um ingrediente ainda pouco explorado por aqui. Das panelas caseiras de David Redmerski Júnior e Edvaldo Correia nasceu essa cervejaria cigana, que possui uma produção pequena mas ganhou um grande destaque no mercado cervejeiro nacional.

David e Edvaldo recebendo prêmio no Festival Brasileiro da Cerveja em 2016

David e Edvaldo recebendo prêmio no Festival Brasileiro da Cerveja em 2016

A primeira grande exposição foi em 2014, quando os sócios David e Edvaldo levaram sua produção, ainda caseira, para área externa do Festival Brasileiro da Cerveja, em Blumenau. No ano seguinte, 2015, a Ryequeoparta foi inscrita na categoria Rye Beer conquistando medalha de ouro e também levou a medalha de bronze no Best Of Show, onde competiu com as melhores cervejas do concurso. Nessa ano, ela repetiu o feito na categoria e subiu um degrau ao competir com as melhores, chegando na medalha de prata. Para David as conquistas também são uma grande vitrine para as cervejas, atraindo novos consumidores. “Isso desperta atenção e muita gente tem procurado a cerveja. Várias pessoas nos procuram para comprar, distribuir, tanto na pressão, quanto engarrafadas, mas infelizmente não conseguimos atender, pois nossa produção é muito pequena e acaba ficando toda aqui na região”, explica David.

RedCor premiação 2015

Esse é um dos limitadores dos cervejeiros ciganos, a produção depende do espaço que a cervejaria hospedeira possui. A RedCor fabrica suas cervejas na Cervejaria Araucária, que está situada em Maringá, no norte do Paraná. A cada brassagem são feitos 500 litros da Ryequeoparta, que atendem o mercado local. Mas, depois dos prêmios, a cerveja já esteve presente em Curitiba, Londrina, Blumenau, São Paulo e Ribeirão Preto, em visitas rápidas e limitadas. Essa Black Rye IPA, com 7% de abv e 100 IBUs agradou muitos paladares, apesar de estar dentro de um estilo ainda pouco apreciado no Brasil. “Apesar de ser black, ela não é uma Stout ultralupulada. A cerveja foi pensada para ser equilibrada nas suas características de cerveja de centeio, lupulada e escura, terminando bem seca e com isso acaba surpreendendo de modo positivo muita gente. Cervejas escuras ainda assustam o público brasileiro, que estava acostumado a ver nesse tom somente cervejas mais adocicadas e a nossa foge completamente desse doce”, destaca David.

RedCor garrafas

Outro rótulo que também faz parte do portfólio da RedCor é a Intrigante, uma American Wheat/Rye, que trabalha bem o lúpulo como ingrediente de destaque. Uma cerveja mais aromática e com alta drinkability, que também conta com o centeio na sua lista de ingredientes. “Usamos o centeio por gostar das características que ele pode acrescentar as cervejas, um certo aveludamento no gole, boa formação e ótima retenção da espuma, e ainda algumas características de paladar e aroma que ele acaba proporcionando”, conta David. Novos rótulos da RedCor serão lançados em breve e os sócios já estão estudando outras alternativas para aumentar a produção.Quem quiser acompanhar as produções e novidades basta acessar a página RedCor no Facebook.

redcor cervejaria

Luís Celso Jr.

Luís Celso Jr.

Luís Celso Jr. é jornalista e sommelier de cervejas premiado. Também é professor, juiz e consultor de cervejas

Leave a Reply